quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

A PELE E SEUS ANEXOS

O envelhecimento da pele é um processo complexo, que leva á diminuição de sua espessura. Isso se deve, sobretudo, ao adelgaçamento da derme (camada abaixo da epiderme, na qual estão os vasos sanguíneos e as glândulas anexas), decorrente da perda de densidade das fibras de colágeno ( proteína que confere firmeza e sustentação á pele) e de alterações nas fibras elásticas.

As características do envelhecimento da pele envolvem diminuição da pigmentação, da atividade das glândulas sudoríparas (responsáveis pelo suor), dos vasos sanguíneos e das células de defesa. Em consequência, a pele se torna enfraquecida, ressecada, mais pálida, áspera e com poros dilatados.

Diversos fatores contribuem para o envelhecimento da pele: alguns são individuais e outros, ambientais. Esses fatores podem ser externos e internos.

Fatores internos

São o resultado de uma programação genética determinada-não há nada que possa mudar seu curso.

Fatores externos


São aqueles que interferem na velocidade de envelhecimento da pele. Diferentemente dos anteriores, podem ser controlados e modificados. Alguns exemplos são:

Tabagismo.
Consumo excessivo de bebida alcoólica.
Desnutrição.
Exposição excessiva e desprotegida á luz do sol.

Dentre esses fatores, o que tem maior peso no envelhecimento da pele, na ausência de doença específica,  p é a exposição prolongada e sem proteção ao sol.
A luz solar acelera o processo de fotoenvelhecimento (do grego, "foto"="luz") porque a pele recebe grande quantidade de raios ultravioleta (UV), que podem induzir um processo de apoptose precoce nas células da epiderme, além de provocar inflamação na região exposta á radiação. Os processos inflamatórios e de reparação aceleram o envelhecimento e deixam "manchas" na pele. Além de manchada, ao perder a integridade da barreira protetora contra os raios solares, a pele fica sujeita ao aparecimento de tumores benignos e malignos nas áreas mais expostas ao sol.

A melhor estratégia é prevenir o fotoenvelhecimento. Algumas medidas úteis são:

Evitar exposição ao sol entre 10h e 16 h (perído com maior radicação UV).
Aplicar protetor solar diariamente e, quando na piscina ou praia, reaplicá-lo a cada 2 horas.
Usar chapéus ou bonés que cubram a superfície do rosto adequadamente.
Não ficar parado(a) sob o sol.

QUEDA DE CABELO

Além da exposição solar, fatores individuais, em algum momento, vão provocar atrofia e fibrose de muitos folículos pilosos. Isso explica a alopecia (queda de cabelo) moderadamente avançada em 60% dos homens ao redor dos 50 anos e relevante em 20% das mulheres.
Os cabelos se tornam mais finos. Os pelos axilares praticamente desaparecem em 30% das mulheres depois dos 60 anos e em 7% dos homens.
Os pelos pubianos seguem o mesmo padrão.

Nas mulheres com mais de 60 anos, aumenta o número de pelos ao redor dos lábios; nos homens, eles aparecem nas orelhas e narinas, e as sobrancelhas de tornam mais crespas e espessas.

A deficiência progressiva de pigmento nos folículos pilosos conduz ao branqueamento dos cabelos em idades variáveis, de acordo com a herança genética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário